Noticia

Mudanças saindo do forno

06Out

Mudanças saindo do forno

Com as medidas de isolamento social adotadas como forma de combate ao Covid-19, as padarias precisaram se adaptar. Empresas do ramo investiram em diferentes formas de produção, atendimento e entrega, sem deixar de lado a criatividade, visando não perder a característica de proximidade que as fazem ser parte do dia a dia do brasileiro.

Para saber o que as padarias vêm fazendo para se adaptar à crise, conversamos com estabelecimentos da área. Pascal Abadie, chef e CEO da Jules L’art du Pain, localizada em Moema, São Paulo capital, fala acerca da simplificação no negócio.

“Na minha opinião, não teve nenhuma mudança em nossa forma de trabalhar. Eu apenas simplifiquei o terraço (salão) que não está mais funcionando. Isso facilitou e tornou a operação da Jules mais simples durante a pandemia”.

Pascal, natural de Toulouse, na França, diz também que o modelo adotado é comum para ele, pois este já é tradicional em seu país natal.

“Esse modelo com as pessoas vindo buscar para comer em casa é tradicional nas boulangeries francesas. Apesar dessa mudança, esses novos modelos vão simplesmente prosseguir no jeito que estamos acostumados de trabalhar na França”.

O chef afirma ainda que pretende continuar apostando nos serviços de delivery mesmo após o fim da pandemia.

“A nossa ideia é prosseguir com o sistema de delivery, pois é um modelo que vai ganhar força mesmo após a quarentena. Com a pandemia, as pessoas começaram a ficar mais em casa, pedir o delivery e também se acostumaram a tomar café da manhã nas suas casas, por isso é um modelo de negócio que vai perdurar durante um bom tempo”.

De acordo com Pascal, os clientes receberam bem as mudanças impostas pela necessidade de isolamento social. Estas, inclusive, levaram os produtos da padaria para novos lares.

“Foi muito boa (a recepção dos clientes). Mesmo antes da pandemia, 70% dos clientes vinham aqui, pediam os produtos da Jules e levavam para comer nas suas casas. Então, quem fazia isso não interferiu, pois seguimos com as portas abertas para retirada. E quem mora mais longe passou a nos conhecer por meio do delivery. Apesar de toda a crise que a pandemia trouxe, nós conseguimos aumentar nossa zona de influência”.

O chef e CEO destaca o papel da tecnologia no momento atual, visto que a Jules L’art du Pain lançou um aplicativo de celular próprio, para atender a seus clientes.

“O aplicativo é um meio de aumentar o serviço e conseguir entregar pães especiais de longa fermentação sem as pessoas saírem de casa durante a pandemia. Afinal, o COVID-19 obrigou a Jules a trabalhar do mesmo jeito que as boulangeries operam na França e criar um aplicativo que não teria sido criado caso não tivesse a pandemia. Todo essa crise me permitiu repensar no meu call business, que é o de boulangerie, charcutaria, viennoiserie, sorveteria e chocolateria. Ou seja, após a pandemia nós vamos seguir à risca o modelo de negócio das padarias artesanais francesas”.

Leia a matéria completa aqui

Fonte: foodservicenews

(292)