Noticia

Padeiros do Sudeste: região concentra maior números de profissionais do país

14Jan

Padeiros do Sudeste: região concentra maior números de profissionais do país

Que o pão está entre os alimentos mais consumidos na região Sudeste não há dúvidas. Não por acaso, a região concentra o maior número de padarias registradas no país, com nada menos que 30.757 estabelecimentos distribuídos entre Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. São milhares fornadas diárias de pães, doces, bolos e outros produtos que vão das padarias direto para os lares dos consumidores.

Por trás de cada pãozinho que chega à mesa nos quatro estados, está a figura popular e indispensável dos padeiros. São eles os grandes homenageados da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria – ABIP em dezembro. Assista ao vídeo da campanha. “Os padeiros são a verdadeira força motriz da indústria de panificação e confeitaria. Estamos muito felizes de reconhecer e homenagear esses profissionais dos quais nos orgulhamos profundamente”, afirma José Batista de Oliveira, presidente da ABIP.

Em um cenário no qual a venda de produtos de fabricação própria se torna cada vez mais importante para as padarias, a relevância de um bom padeiro é ainda maior. Em 2018, esse tipo de vendas cresceu 5,87% em relação ao ano anterior. “A produção de fabricação própria vem sendo cada vez mais o ponto de apoio das padarias, com participação crescente no faturamento. Assim, contar com um bom padeiro é vital e indispensável para os negócios”, reforça Batista.

A profissão que alimenta também faz girar a economia. Embora não haja dados específicos sobre o número de padeiros no estado, estima-se que o setor gere 920 mil empregos diretos e 1,8 milhões de vagas indiretas nas 70 mil padarias e confeitarias registradas no Brasil. Segundo o último levantamento oficial, de 2017, cada padaria mantém, em média, 12 profissionais (área de produção e loja) contratados para atender as demandas diárias dos clientes que chegam em busca dos produtos fresquinhos.

Em Minas Gerais também tem gente que pula cedo da cama para garantir o café da manhã dos clientes. O dia de Kadu Carneiro, da padaria Boníssima, em Belo Horizonte, começa às 5h para dar conta da rotina, sempre intensa. “A primeira atividade é assar os pães que já estão fermentando por 20 horas, aproximadamente, e, junto com os outros padeiros, preparar as massas dos pães que serão assados no dia seguinte”.

Leia mais aqui

Fonte: ABIP

(690)