Noticia

Sindipan-JF e entidades cobram PJF plano de retomada de atividades

06Mai

Sindipan-JF e entidades cobram PJF plano de retomada de atividades

As entidades do setor produtivo de Juiz de Fora cobram a Prefeitura para estabelecer um plano de retomada gradual das atividades econômicas locais. Em entrevista coletiva à imprensa nesta terça-feira (5), realizada na sede da Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora (ACE/JF), os representantes dos sindicatos patronais questionaram o Executivo municipal acerca de quais medidas estão sendo implementadas para aumentar a quantidade de leitos de terapia intensiva e enfermagem, uma vez que o principal argumento do prefeito Antônio Almas (PSDB) para manter as restrições é a ocupação de 84% dos leitos de terapia intensiva da rede pública de saúde. O pico do novo coronavírus (Covid-19) em Juiz de Fora está previsto para 25 de junho, conforme nota técnica da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). No entanto, o empresariado pleiteia que o retorno se dê antes da data, já que, no entendimento das entidades, há a necessidade de honrar despesas ordinárias, bem como os vencimentos de funcionários.

A pressão sobre a Prefeitura ocorre após Almas rejeitar a proposta dos segmentos locais de comércio e serviços para retomar o funcionamento em horários reduzidos e turnos revezados nessa segunda (4). A proposta das entidades patronais, que constituem uma espécie de comitê – intitulado G12 -, fora encaminhada ao secretário de Fazenda, Fúlvio Albertoni, em 14 de abril, em meio às discussões com o Executivo para a retomada. De acordo com o advogado e assessor jurídico do G12, Rubens Andrade Neto, embora haja um “bom diálogo” com a Prefeitura, o empresariado necessita de maior direcionamento e clareza do Poder Público quanto ao plano para a retomada das atividades do setor produtivo. “Nas duas últimas reuniões do Comitê Municipal de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19, quando a proposta de retomada seria votada, soubemos que não haveria a flexibilização. A reabertura gradual estava prevista para 4 de maio, mas, agora, não há previsão para o reinício. Os empresários não sabem se vão fechar os estabelecimentos, demitir os funcionários etc. O Município tem que manter um diálogo claro com quem depende do setor produtivo.”

O presidente do Sindipan-JF, Heveraldo Lima de Castro, destacou que o setor produtivo preza pela saúde da população aliada à retomada das atividades econômicas: “Precisamos que o poder público dialogue mais e planeje uma retomada gradual, ou os danos econômicos poderão ser ainda maiores que os da saúde”.

Juiz de Fora é hoje a segunda cidade do Estado de Minas Gerais em casos confirmados e óbitos por Covid-19. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas, a cidade soma, nesta terça, 217 pessoas que testaram positivo para o vírus, além de seis mortes.

*Com informações de Tribuna de Minas

(349)